14 de ago de 2010

A visita

             Com a verdade entre os dentes
             O sorriso sombrio bateu-me à porta
             Exalando cheiro de carne morrida
             Sentou-se confortável sobre o nada
             E serviu-me uma dose de medo azul